Reprogramar as características negativas da personalidade e transformá-las no seu maior tesouro

O que acontece quando nos dizem que somos excessivamente isto ou aquilo e nos apontam isso como algo negativo? Nós próprios começamos a concordar e a ver que os outros têm razão no que dizem. Mas, como devemos fazer para mudar essa perspetiva negativa da nossa personalidade?

Durante muitos anos fui criticada por ser uma pessoa excessivamente criativa, não diziam que era excessivamente criativa, mas sim uma pessoa insatisfeita, com demasiadas ideias e que não as levava até ao fim. Na verdade, em todas as fases da minha vida sempre me lembro de mim a criar novos projetos e a experimentar novas atividades. Mudei de país quatro vezes e tive várias profissões. Contudo, nunca estava satisfeita e a maioria das pessoas apontava isso como um defeito da minha personalidade. Eu própria, durante muito tempo, acreditei e convenci-me que era realmente um problema e um defeito na minha personalidade.

Acreditava que o facto de ter uma vontade imensa de experimentar coisas novas a todo o momento, de fazer algo novo e de ter novas ideias, não era uma qualidade. Para mim, ser excessivamente criativa não era algo de positivo.

Porém, em 2012 quando comecei a trabalhar com o Eneagrama apercebi-me que muitas daquelas características da minha personalidade, vistas como defeitos e de forma negativa, faziam parte de um perfil base de personalidade em que a visão do mundo desta é experienciar a vida ao máximo. A partir do momento em que me apercebi disto, foi óbvio para mim, que faço tudo isto não por ser uma eterna insatisfeita, como me diziam, mas porque quero fazer cada dia da vida valer a pena, experimentando tudo o que for possível.

Transformação e reprogramação da forma de estar e olhar para a personalidade

Quando soube tudo isto, uma das perguntas que me fiz foi “se tenho tantas ideias, se sou uma pessoa tão criativa, se gosto tanto de fazer coisas diferentes, como é que eu posso arranjar uma forma no meu negócio e na minha vida de poder ter todas estas ideias, mas, efetivamente, ter foco?”

O foco era, sem dúvida, o meu calcanhar de Aquiles, porque eu não o tinha. Fazia tantas coisas ao mesmo tempo e não as levava até ao fim. Na altura já trabalhava com empreendedores e comecei a pensar como podia canalizar esta capacidade criativa ajudando os que se sentem bloqueados a ter novas ideias e novas perspetivas. Sabia que poderia ajudar também as empresas com as quais trabalhava a encontrarem novas soluções e novas formas de integração de ideias novas nas suas equipas.

Hoje sei que grande parte do sucesso do meu negócio se deve a isso, ao facto de ter transformado uma visão negativa de mim e o meu excesso de criatividade em algo positivo e a favor do mundo.

Todos temos características únicas e exclusivas nossas. Há pessoas que dizem “eu sou pessimista, sou aquela pessoa que está sempre a pensar no que pode acontecer de negativo, penso em todos os cenários”. Nesse caso, o conselho que dou é para que transformem isso em algo positivo na sua vida profissional, pois estas pessoas, normalmente, dão excelentes planeadores visto que conseguem ponderar todos os cenários.

É importante perceber que tudo o que são características da personalidade, não estão ali por acaso, mas sim para que se faça algo com elas.

Pode ver essas características como algo negativo e que tem de aniquilar a qualquer custo ou pode transformar e reprogramar a perspetiva em relação a elas e torná-las em algo positivo para si e para o mundo.

Hoje deixo-lhe um desafio: escreva numa lista todas as características que considere como menos positivas e à frente escreva formas de poder utilizá-las a seu favor.

Vai ver que fará toda a diferença na forma de ver a sua personalidade!

Ana Cristina Rosa



X